Guia do Iniciante em Linux Ubuntu Parte I

Bom, eu estava pensando um pouco e sei que muitos tem alguns problemas em migrar para o Linux e aceitá-lo como Sistema Operacional. Já uso Linux há pelo menos 1 ano, não me considero expert, mas apenas um usuário iniciante ainda! Este guia é quase totalmente escrito por mim. Vou pegar e colocar todas as partes em uma página no site que vou fazer. Tudo aqui é de Iniciante para iniciante. Se algum expert quiser me corrigir, comente e aponte o erro, por favor! Então, vamos começar o Guia?

Guia do Iniciante em Linux Ubuntu

1.0 – Linux: Afinal, o que é isso?

Já vi muitos perguntarem isso. Afinal, antes de conhecê-lo mesmo eu não sabia direito o que era, o que sabia era que era um Sistema Operacional que era vendido até em revistas de informática. Meu pai sempre falou mal do Linux para mim, ele é um grande “Microsoftista” e, quando se é mais criança, você acaba acreditando no que ele diz. Sempre que ouvia tal palavra era como se fosse algo ruim. Me lembro de um primo meu ter dito que usava Linux e eu até fiz cara de nojo, mas, na verdade, eu nem sabia o que era isso direito, nunca tinha usado. Bom, voltando, o Linux é o termo usado, geralmente, pra designar um sistema operacional usando o núcleo Linux (Wikipédia). Você deve estar perguntando, “como assim ‘Núcleo’? Núcleo não é aquele negócio que as células têm dentro de si?”

Bom, Linux é quase isso… não tô querendo dizer que Linux é literalmente o núcleo de uma célula, não. O Núcleo (ou Kernel) na computação é o “Coração” do Sistema Operacional. “Ele serve de ponte entre aplicativos e o processamento real de dados feito a nível de hardware. As responsabilidades do núcleo incluem gerenciar os recursos do sistema (a comunicação entre componentes de hardware e software).” (Wikipédia novamente) Isso quer dizer que Linux não é um Sistema Operacional propriamente dito, mas sim uma base para tal. Ele é o Coração de qualquer Sistema que o use. Quase todo o sistema tem um núcleo, mas você não ouve muito falar deles. O Windows também tem seu núcleo e o Mac OS X também tem o dele (o Darwin).

A diferença do Linux é que seu código é aberto, ou seja, qualquer um pode ver como o Linux foi criado e como ele funciona. Já o Windows não, ninguém pode ver como o Windows funciona nem corrigir seus erros, apenas a Microsoft e autorizados por ela. É o que chamamos de “código fechado” ou “proprietário”. Por causa da licença usada pelo Linux (GPLv2), todo sistema que use tal núcleo também terá de ter seu código aberto.

1.1 – Código Aberto e Fechado/Proprietário

Como eu já disse, o Linux tem seu código aberto ao público: qualquer um pode editar, lançar uma melhoria, ou sei lá, fazer qualquer coisa com o código e lançar na internet. Isso é uma vantagem e também uma desvantagem. Vantagem porque erros no código podem ser encontrados mais rapidamente, porque mais gente pode ver tal código, e quem entende pode procurar por erros ou brechas de segurança. Justamente por isso pode ser uma desvantagem porque essa brecha pode ser explorada antes de ser corrigida. Mas até agora não sei se já usaram tal tática. Por isso Linux é um dos sistemas mais seguros do mundo. Não tô falando que é totalmente seguro, mas estou apenas dizendo que é mais seguro que o Windows. Até hoje nunca vi um usuário Linux falar: “Nossa peguei um vírus aqui!”, até porque os vírus pra Linux, mesmo existindo, poucos são os que funcionam! E quando funcionam, não podem fazer muita coisa. O Linux tem um sistema de permissões inteligente que não permite que seja qualquer um que possa fuçar nas pastas do sistema e apagar arquivos.

O Windows é um sistema de código fechado e quero saber de vocês: quantas vezes vocês já pegaram vírus nas suas vidas? Provavelmente muitas, mas se você nunca pegou, parabéns. Claro, o Windows é usado por muita gente mesmo, e uma das armas dos trolls para combater o Linux é falar: “Ah, se Linux fosse tão popular quanto o Windows, seria mais inseguro que o próprio Windows.” Aí é que tá… na verdade, o Linux é mais popular que o Windows em uma coisa: servidores. Justamente por causa da segurança que ele trás. Claro, nós temos Windows em alguns servidores, mas uma boa parte roda Linux. A Google roda Linux, a Wikipédia roda Linux e etc. Justamente por causa da segurança. Não é fácil quebrar a segurança dos PCs dessas empresas.

1.2 – Distribuições (Distros)

Lembra-se que falamos no começo do guia que o termo Linux era geralmente usado para designar qualquer sistema que rode o núcleo Linux? Bem, um dos termos mais corretos para se referir a tais sistemas é Distribuição ou Distro. Distribuição Linux é justamente o sistema que roda o núcleo Linux. O Linux, por ser “código aberto”, pode ser editado por qualquer programador. Então, qualquer programador pode criar a sua própria distribuição, desde que saiba fazê-la. O Linux possui várias distribuições, acho que não seria possível nem contar. A mais antiga delas é a SlackWare, criada em 1993, sobrevivendo até os dias de hoje, sendo que Linux existe desde o comecinho da década de 90 (entre 1990 e 1992). A 2ª mais antiga é a Debian, criada pouco tempo depois da Slackware, acho que são só questão de meses mesmo, pois foi criada ainda em 1993. E então a RedHat, criada em 1994. Aqui uma linha do tempo até 2007: http://libreamoi.com/images/linuxdistrotimeline.png.

Bom, mas uma das mais conhecidas e usadas distribuições do mundo é a Ubuntu, que é a que eu uso e que trato muito neste blog. A versão existe desde 2004 e é baseada no Debian. Mark Shuttleworth, um sul-africano criador do Ubuntu e da empresa que o distribui, Canonical, é sul-africano e ficou milionário depois de vender uma empresa dele. Viajou pro espaço e quando voltou criou o Ubuntu e a Canonical. O Ubuntu foi lançado em Outubro (mês 10) de 2004 (ano “4”), por isso a primeira versão recebeu os números 4.10. 4 por causa do ano e 10 por causa do mês que foi lançado. Até hoje o Ubuntu recebe tal numeração. A versão 10.04, por exemplo, foi lançada em 2010 (10), no mês de Abril (04). E é sempre assim: uma versão nova é lançada a cada seis meses. Atualmente está em desenvolvimento a versão 10.10, que será lançada em 10 de Outubro de 2010 (10/10/10 — proposital, segundo Mark Shuttleworth). Por isso, vamos agora tratar do Ubuntu neste guia.

Continua…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s