Linux KDuXP 1.98 Final Liberado!


Eu adoro essa distribuição, e fiquei feliz em saber que já saiu a versão final do KDuXP 1.98! O que há de novo?

  • Mais velocidade, com menos consumo geral de memória;
  • Kernel atualizado para 2.6.35-28 (super estável);
  • Implementação de novas impressoras laser da HP;
  • Firefox 4.0 Final em pt-BR;
  • BrOffice 3.3.2.1 pt-BR;
  • Nova Máquina Virtual para Pendrives: VirtualBox-USB;
  • Novos Clonadores de Partições;
  • Novo suporte a placas de rede Wireless;
  • Todo o Sistema foi atualizado para as versões mais estáveis;
  • Entre muitas outras melhorias nos recursos já existentes…

Para baixar a versão nova você já sabe: Clique Aqui!

Foi lançado ainda hoje e você pode conferir em primeira mão! A .iso possui 3,2 GB, mas posso lhe garantir que vale muito a pena baixar!

Anúncios

OpenSUSE & Fedora – Primeiras impressões


Estou atualmente numa busca incansável pela substituição do Ubuntu 10.04 LTS que estava em minha máquina. Essa busca parecia ter acabado quando encontrei o Linux Mint e o Linux KDuXP. Eu instalei o Mint para testar, já que o KDu eu já conhecia de tempos atrás e o Mint era um SO que eu estava “namorando” já fazia um tempo.

Mas o Mint é Ubuntu, e tem seus bugs. É, eu agora estou vendo se desinstalo o Mint. Mas dessa vez resolvi me aventurar em mundos diferentes… O Ubuntu tem base no Debian, o KDu e o Mint têm base no Ubuntu… então resolvi me aventurar pelo mundo Red Hat! As duas distribuições escolhidas foram: Fedora e OpenSUSE! Eu já tinha ouvido falar muito do tal do Fedora, um sistema operacional que, pelo nome, me lembra “fedor” (desculpem a piada) e do OpenSUSE, mas nunca tinha pegado pra usar.

O Fedora já tinha deixado algumas impressões boas em mim de algumas versões anteriores que eu testei, mas nunca tinha testado o SUSE, só ouvia falar. Estou escrevendo este artigo justamente de dentro do LiveCD de uma das duas distros… já já você vai descobrir qual é.

OpenSUSE

Resolvi começar pelo sistema que eu ainda não tinha usado: OpenSUSE. Pra baixar foi tranquilo: entrei no site, que já é bem trabalhadinho, mas ainda tem de ser traduzido por completo, e cliquei em baixar. Mas não baixei qualquer versão! Baixei a versão 11.4 (Lançada já faz algum tempinho, em Março de 2011) LiveCD com GNOME, pois o SUSE padrão usa KDE, e experiências anteriores com o KDE não me deixou muito animado. Por isso resolvi testar um ambiente que me era familiar, o GNOME, o mesmo do Mint, Ubuntu, Debian e Fedora padrões… Ele também tinha download pra um DVD de 4 GB, mas não era LiveDVD.

A .iso pesa um pouco mais de 680 MB, assim como a do Fedora. Não tive problemas nenhum pra gravar e logo depois baixei a .iso do Fedora. Depois que gravei o outro CD, inseri o do OpenSUSE no drive e reiniciei o computador.

Ele iniciou como qualquer outro live CD, perguntando se eu queria Iniciar do CD, Instalar, Iniciar pelo HD etc, com um plano de fundo estiloso. Escolhi iniciar pelo CD e a tela de boot elegante se apresentou. Não demorou muito para eu entrar no sistema, um sistema elegante, com apenas um painel embaixo, assim como no Linux Mint!

OpenSUSE 11.4 com GNOME

Elegante! Outra coisa que me chamou atenção foi o Menu, que está no painel ali como “Computer”: lembra muito o Menu do Linux Mint.

 

Menu do SUSE

Só não gostei muito de ter que abrir uma janela pra ver os aplicativos. Mas isso tudo bem, é só mudar esse Menu que tá como Computer pro Menu padrão do GNOME, aí você vê em uma lista os programas.

O SUSE é muito rico em programas, mesmo no LiveCD, deixou uma bela impressão nesse quesito! Vem com GIMP, LibreOffice 3.3.1 (O mais novo!), Firefox 4 Beta 12 (O mais novo!), além de um Add/Remover Programas e um gerenciador de servidores chamado YaST. A primeira impressão é a que fica, e realmente gostei do SUSE. Eu só tive mais um teste a fazer:

O teste da Tablet! Eu já tinha ouvido falar que o kernel 2.6.37 do OpenSUSE vinha com configurações para suportar tablets com tecnologia Waltop, ou seja, ele reconhecia de primeira… Será que era verdade? Relei a caneta na superfície da tablet e o cursor do mouse mexeu! Ponto pro OpenSUSE! Mas ainda não acabou não. O teste real tem que acontecer num programa que reconheça a pressão da tablet!

Abri o GIMP então e desenhei… Nada… Mas aí lembrei que tinha que configurar no GIMP! Fui então em Edit > Preferences > Input Devices e então cliquei no Botão de Configure Extended Input Devices… e configurei minha tablet, que era reconhecida como WALTOP International Corp. Media Tablet. Fechei o GIMP e abri, para aplicar as configurações. Desenhei e… FUNCIONOU! Mais um ponto pro sistema do camaleão!

Acho que pelo Live CD não dá pra instalar, só testar mesmo, esse é o ponto negativo. Acho que precisa baixar o DVD mesmo. Bom, mas pelo menos testei! E gostei bastante. O Fedora teria um duro gelo pra quebrar!

OBS.: Agora que eu vi, tem jeito de instalar sim! Na inicialização do CD ele tem a opção de Boot, de Instalar e de Iniciar pelo HD… Foi mancada essa hein! Tô acostumado com Ubuntu e talz, que tem ícone de Instalar no Desktop e acabei falando isso do SUSE! Ponto pro SUSE!

Fedora

O Fedora eu já conhecia de experiências anteriores, testei a versão 9, 10 e 11 se não me engano. Mas dessa vez resolvi testar a mais atual, a versão 14 (Lançada em Novembro de 2010) com GNOME! O site do Fedora também era bonitinho, organizado e com erros de tradução, mas passam.  Baixei o Live CD do Fedora padrão, com GNOME, que é instalável através do Live CD, coisa que o SUSE não podia fazer. Ponto pro Fedora.

A .iso não pesa muito, pelo menos 680 MB. Quando gravei, testei o SUSE primeiro e depois peguei o CD do Fedora. Reiniciei e apareceu uma tela parecida com a do SUSE, só que com o estilo do Fedora. Não achei opções para mudar de linguagem, então iniciei em inglês mesmo. A tela de boot é bem bonita, e ficou, na minha opinião, melhor que a do SUSE pelo Live CD. O símbolo do Fedora carregando e depois brilha ficou sensacional. Não demorou muito pra eu estar no Live CD.

Fedora 14 com GNOME

Um wallpaper padrão bem bonito e como podem ver, a instalação se encontra logo na área de trabalho… Hmm… Interessante. A área de trabalho lembra muito o padrão do Ubuntu, com duas barras, uma em cima e outra embaixo. Legal 😉

Vamos ao que realmente interessa: as aplicações padrões. Errmm… quase nada! Sério, não tinha OpenOffice, nem LibreOffice… Não tinha GIMP, não tinha quase nada. Tinha Firefox, Empathy e alguns outros programinhas e jogos, mas menos do que o SUSE. Esse quesito me decepcionou. Mas tudo bem. Vamos então instalar algum programa no LiveCD! Fui lá no instalador de programas… E não carregou nenhum programa. Ué? Não consegui então instalar nada… Eu ia fazer o teste da tablet, mas não tinha como instalar o GIMP… O cursor mexia, mas como testar a pressão?

Tentei entrar no Empathy, mas por algum motivo obscuro não consegui! A internet funcionava, o Firefox funcionava, mas o Empathy não. Achei estranho e saí frustrado do Fedora. Não quero desencorajar ninguém a não usar o Fedora, mas essa foi a minha experiência, e não foi boa. 😦 A primeira impressão é a que fica. Qualquer dia eu baixo o DVD de instalação do SUSE e do Fedora, instalo os dois na máquina virtual e posto minhas impressões JUSTAS dos dois instalados.

Não se desesperem, Fedora fans, eu ainda vou testar a versão 15 do Fedora e comparar com a versão nova do SUSE, mas por enquanto essa foi minha impressão…

A propósito, como disse no começo, estou escrevendo isso de dentro de um dos Live CDs. Já adivinhou qual é? É claro que é do Live CD do SUSE.

Tablet no Linux


Bom, eu sou ainda um pouco leigo no assunto de graphic tablet, mas eu possuo uma C3 Tech TB141 que reconhece 1024 níveis de pressão na caneta. Esse post foi feito justamente para aqueles que tem problemas com tablets do tipo no Linux… Eu não sei se o método vai funcionar direito, mas siga os passos e veja se funciona!

O verdadeiro motivo de eu estar postando sobre isso é que eu tive que fazer o maior sacrifício para fazer a tablet e a pressão funcionarem no Ubuntu 10.10 (mais precisamente o Linux Mint 10). A tablet não funcionava de jeito nenhum! Nem mexia o cursor nem escrevia! Com o Ubuntu 10.04 funcionava a tablet… mas não a pressão! Eu procurei diversos tutoriais na internet, instalei diversos drivers e testei diversas configurações diferentes, mas nenhuma funcionava! Até que eu achei um post salvador no Ubuntu Forums…

Mas calma aí, eu não sei se o método que me salvou também te salvará, então vou postar vários métodos que podem te salvar…

Tutoriais variados

A primeira coisa que descobri enquanto tentava fazer que minha tablet funcionasse no Linux foi que minha C3 Tech TB141 é uma tablet que usa a tecnologia da empresa americana Waltop. Se sua tablet é uma C3 Tech TB106, saiba que a sua também usa a tecnologia Waltop. Vasculhando o Google, eu encontrei um site de um desenhista adepto do Software Livre chamado Mozart Couto, e ele deu a seguinte dica: http://blogdodesenhador.blogspot.com/2010/02/driver-de-tablet-para-linux.html… Se porventura você não conseguiu ver o post, ele disse que a Waltop lançou um driver para Linux, para fazer download do mesmo, aqui vai: http://www.waltop.com.tw/file/Download/News420090811001_b.zip.

Eu tentei instalar o driver, mas o modo de instalação é muito complexo. Se você usa ainda o Ubuntu 9.10, pode seguir essa dica aqui: http://ubuntuforums.org/showpost.php?p=8802271&postcount=23 para instalar o driver. Se você não sabe inglês, vou transcrever a dica:

Baixe o driver da Waltop (que eu já pus em cima). Eu não conseguia compilar, sempre dava erro… Mas aí eu obtive uma ajuda do Favux.

Digite os seguintes comandos no terminal:

sudo apt-get update

sudo apt-get install build-essential automake xserver-xorg-dev x11proto-input-dev libx11-dev libxi-dev

sudo apt-get upgrade

cd /PASTA_ONDE_VOCE_BAIXOU_O_DRIVER/

unzip News420090811001_b.zip

cd /pasta_onde_baixou_o_driver/WaltopTablet_091202/WaltopTablet/linuxwaltop-0.8.4/src/xdrv

gedit xf86Wacom.c (adicione uma linha após a linha 92, e nela escreva o seguinte: #include "fcntl.h")

cd ../../

chmod +x configure

./configure

make

sudo make install

sudo cp ../drv/2.6.30.1/10-waltop.fdi /usr/share/hal/fdi/policy/20thirdparty/

sudo reboot

Bom, eu segui todas as instruções do tutorial, mas não funcionou… Parece que só funciona no 9.10… Então procurei mais tutoriais.

Este tutorial (em inglês) pode te ajudar, dependendo de qual seja sua tablet. Mas eu não segui ele inteiro.

Minha Salvação

Bom, a minha salvação veio justamente destes dois tópicos: [1] e [2]. Os dois estão em inglês. Vou tentar reproduzir o que eu fiz para que a minha tablet funcionasse:

Eu instalei no Synaptic o driver xserver-xorg-input-wacom.

Eu digitei primeiro o seguinte:

sudo add-apt-repository ppa:doctormo/xorg-wizardpen && sudo apt-get update && sudo apt-get install xserver-xorg-input-wizardpen

Esse comando faz com que seja adicionado os ppas do Doctormo e do WizardPen no seu Ubuntu. Ele também instala o driver Wizardpen.

Reiniciei o computador!

Depois digitei:

cat /proc/bus/input/devices

Isso serve pra saber em qual event estava minha tablet! (ESSENCIAL!) O meu estava assim:

I: Bus=0003 Vendor=172f Product=0500 Version=0110
N: Name=”WALTOP International Corp. Media Tablet”
P: Phys=usb-0000:00:1d.0-1/input0
S: Sysfs=/devices/pci0000:00/0000:00:1d.0/usb2/2-1/2-1:1.0/input/input3
U: Uniq=
H: Handlers=sysrq kbd mouse0 event3
B: EV=10001f
B: KEY=c03 0 1f0001 0 0 0 0 e08effdf 1cfffff ffffffff fffffffe
B: REL=143
B: ABS=1fffff00 1000003
B: MSC=10

Ali você achará o “event” da sua tablet. No meu caso é o event3!

Seguindo um dos tutoriais, digitei no terminal:

gksudo gedit /usr/share/X11/xorg.conf.d/50-wacom.conf

E editei o começo:

Section “InputClass”
Identifier “Wacom class”
# WALTOP needs a patched kernel driver, that isn’t in mainline lk yet,
# so for now just let it fall through and be picked up by evdev instead.
MatchProduct “Wacom|WALTOP|WACOM”
#    MatchProduct “Wacom|WACOM”
MatchDevicePath “/dev/input/event*
Driver “wacom”
EndSection

O que pode ter acontecido de não ter funcionado comigo, é que eu não alterei esse event* que eu pus em vermelho aqui. Altere para aquele event que você conseguiu através do comando cat /proc/bus/input/devices. Reinicie e computador e veja se funcionou. Se não funcionou, continue o tutorial.

Tá, então seguindo o outro tutorial, eu editei o driver do WizardPen, já que o do Wacom não funcionou! No terminal:

gksudo gedit /usr/share/X11/xorg.conf.d/70-wizardpen.conf

E editei:

Section “InputClass”
Identifier “WizardPen class”
MatchIsTablet “on”
MatchProduct “WALTOP”
MatchDevicePath “/dev/input/event3
Driver “wizardpen”
Driver        “wizardpen”
EndSection

Section “InputClass”
Identifier “WizardPen ignore mouse dev class”
MatchIsTablet “on”
MatchProduct “WALTOP”
MatchDevicePath “/dev/input/mouse*”
Option “Ignore” “yes”
EndSection

Dessa vez sim eu alterei o event!

Reiniciei o computador e o negócio já começou a dar resultado, o cursor já se movia com a tablet, mas a pressão ainda não funcionava! Então fiz o seguinte, segundo mandava o tutorial:

sudo wizardpen-calibrate /dev/input/event3

Isso serve pra calibrar sua tablet. Ele pede pra que você clique, com a caneta, em um dos cantos quaisquer da tablet. Assim que você clicar, você tem que clicar no lado oposto. Depois ele te mostra o resultado. O meu foi esse:

Driver “wizardpen”
Option        “Device”    “/dev/input/event3”
Option        “TopX”        “197”
Option        “TopY”        “373”
Option        “BottomX”    “16292”
Option        “BottomY”    “16370”

Mas o que fazer com isso? Simples, digite isso:

gksudo gedit /usr/share/X11/xorg.conf.d/70-wizardpen.conf

E adicione lá. Veja como ficou o meu:

Section “InputClass”
Identifier “WizardPen class”
MatchIsTablet “on”
MatchProduct “WALTOP”
MatchDevicePath “/dev/input/event3”
Driver “wizardpen”
Driver        “wizardpen”
Option        “Device”    “/dev/input/event3”
Option        “TopX”        “197”
Option        “TopY”        “373”
Option        “BottomX”    “16292”
Option        “BottomY”    “16370”
EndSection

Section “InputClass”
Identifier “WizardPen ignore mouse dev class”
MatchIsTablet “on”
MatchProduct “WALTOP”
MatchDevicePath “/dev/input/mouse*”
Option “Ignore” “yes”
EndSection

Salvei, reiniciei e logo que loguei, abri o GIMP e vi que a pressão funcionava! Glória a Deus!

Se quiser seguir os tutoriais, pode ir! Recomendo seguir todos os que lhe passei! Se você não pegou nenhum ainda, aí vai uma lista de links que podem te ajudar:

[1] (Inglês)

[2] (Inglês)

[3] (Inglês)

[4] (Inglês)

[5] (Português)

[6] (Inglês)

[7] (Inglês)

Não se incomode com os links estarem em inglês, o Google Tradutor pode te dar uma noção do que é, mas não confie totalmente nele.

Se este tutorial te ajudou, comente! Se não funcionou contigo, também comente! Se esse tutorial não serviu pra você, comente também!

Linux KDuXPv 1.98 Small & RC Plus 3.1


Eu já mencionei em alguns posts essa distro sensacional que é o KDuXP, mas vou mencionar de novo as novas versões desse sistema. Desenvolvida pelo brasileiro SuporteTecnicoID, a distro visa atingir os usuários que chegaram no Linux agora, com um visual semelhante ao do Windows e com todos os aplicativos prontos para uso por padrão.

Ela foi baseada no Ubuntu e editada para ser simples, fácil e além de familiar

A versão 1.98 RC Plus 3.1 é uma versão lançada em 4/12/2010. A .iso pesa algo em torno de 3 GB, pode ser rodada pelo Live DVD e vem com diversos aplicativos por padrão que são muito úteis, além de ter muitos programas atualizados e codecs inclusos. A versão se baseia no Ubuntu 10.04 LTS, mas vem com o kernel 2.6.35, o que significa mais compatibilidade de hardware 😉

Melhorias da versão aqui!

A versão 1.98 Small é uma versão lançada em 9/3/2011 e tem tudo atualizadíssimo pra você. A .iso é menor, como diz o nome da distro: “Small”, pesa pelo menos 700 MB, cabe num CD e pode ser rodada pelo Live CD. Um número reduzido de aplicativos, mas as funcionalidades do KDuXP continuam a mesma, além de estar mais estável.

Melhorias da versão aqui!

Para baixar qualquer uma das duas versões é só visitar: http://www.linuxkduxp.com/downloads/

Tem dúvidas? A comunidade Linux KDuXP te ajuda a resolvê-las: http://www.linuxkduxp.com/forum/

Eu recomendo vocês darem pelo menos uma olhadinha na distro porque vale muito a pena!

Linux Mint – Ubuntu com elegância


Nossa, já faz um tempo que fico sem postar aqui. Mas dessa vez vim pra dar destaque a outra distro que merece isso. Estamos falando do Linux Mint! Não é uma distro que foi criada há um ano não, já faz um tempo que ela circula por aí, mas atualmente ela é uma das distros mais usadas do mundo.

O Mint é uma distro que tem duas “versões”: as versões baseadas no Ubuntu e a versão baseada em Debian. A versão baseada no Ubuntu sai algum tempo após o lançamento de uma versão do Ubuntu, enquanto a versão baseada em Debian é uma rolling release, ou seja, não tem versão fixa. Sua .iso no site está sempre sendo atualizada com o que há de mais novo, sem precisar esperar uma versão nova para experimentar, seguindo o exemplo da versão testing do Debian.

Mas o que diferencia o Mint do Ubuntu? Ah, assim que você loga no sistema você nota a diferença principal: a elegância do sistema. Ele vem com temas e papeis de parede muito bem trabalhados, deixando logo de cara uma boa impressão naquele usuário novato. O sistema tem o mesmo objetivo do Ubuntu: ser fácil para iniciantes em Linux. E é justamente isso que a equipe do Mint vem trabalhando. O sistema vem com codecs e várias outras coisas pré-instaladas.

Para baixar, é simples:

http://linuxmint.com/

Além de ter uma versão com GNOME, também há com KDE, LXDE e XFCE…

Linux Mint 10 com GNOME