OpenSUSE & Fedora – Primeiras impressões

Estou atualmente numa busca incansável pela substituição do Ubuntu 10.04 LTS que estava em minha máquina. Essa busca parecia ter acabado quando encontrei o Linux Mint e o Linux KDuXP. Eu instalei o Mint para testar, já que o KDu eu já conhecia de tempos atrás e o Mint era um SO que eu estava “namorando” já fazia um tempo.

Mas o Mint é Ubuntu, e tem seus bugs. É, eu agora estou vendo se desinstalo o Mint. Mas dessa vez resolvi me aventurar em mundos diferentes… O Ubuntu tem base no Debian, o KDu e o Mint têm base no Ubuntu… então resolvi me aventurar pelo mundo Red Hat! As duas distribuições escolhidas foram: Fedora e OpenSUSE! Eu já tinha ouvido falar muito do tal do Fedora, um sistema operacional que, pelo nome, me lembra “fedor” (desculpem a piada) e do OpenSUSE, mas nunca tinha pegado pra usar.

O Fedora já tinha deixado algumas impressões boas em mim de algumas versões anteriores que eu testei, mas nunca tinha testado o SUSE, só ouvia falar. Estou escrevendo este artigo justamente de dentro do LiveCD de uma das duas distros… já já você vai descobrir qual é.

OpenSUSE

Resolvi começar pelo sistema que eu ainda não tinha usado: OpenSUSE. Pra baixar foi tranquilo: entrei no site, que já é bem trabalhadinho, mas ainda tem de ser traduzido por completo, e cliquei em baixar. Mas não baixei qualquer versão! Baixei a versão 11.4 (Lançada já faz algum tempinho, em Março de 2011) LiveCD com GNOME, pois o SUSE padrão usa KDE, e experiências anteriores com o KDE não me deixou muito animado. Por isso resolvi testar um ambiente que me era familiar, o GNOME, o mesmo do Mint, Ubuntu, Debian e Fedora padrões… Ele também tinha download pra um DVD de 4 GB, mas não era LiveDVD.

A .iso pesa um pouco mais de 680 MB, assim como a do Fedora. Não tive problemas nenhum pra gravar e logo depois baixei a .iso do Fedora. Depois que gravei o outro CD, inseri o do OpenSUSE no drive e reiniciei o computador.

Ele iniciou como qualquer outro live CD, perguntando se eu queria Iniciar do CD, Instalar, Iniciar pelo HD etc, com um plano de fundo estiloso. Escolhi iniciar pelo CD e a tela de boot elegante se apresentou. Não demorou muito para eu entrar no sistema, um sistema elegante, com apenas um painel embaixo, assim como no Linux Mint!

OpenSUSE 11.4 com GNOME

Elegante! Outra coisa que me chamou atenção foi o Menu, que está no painel ali como “Computer”: lembra muito o Menu do Linux Mint.

 

Menu do SUSE

Só não gostei muito de ter que abrir uma janela pra ver os aplicativos. Mas isso tudo bem, é só mudar esse Menu que tá como Computer pro Menu padrão do GNOME, aí você vê em uma lista os programas.

O SUSE é muito rico em programas, mesmo no LiveCD, deixou uma bela impressão nesse quesito! Vem com GIMP, LibreOffice 3.3.1 (O mais novo!), Firefox 4 Beta 12 (O mais novo!), além de um Add/Remover Programas e um gerenciador de servidores chamado YaST. A primeira impressão é a que fica, e realmente gostei do SUSE. Eu só tive mais um teste a fazer:

O teste da Tablet! Eu já tinha ouvido falar que o kernel 2.6.37 do OpenSUSE vinha com configurações para suportar tablets com tecnologia Waltop, ou seja, ele reconhecia de primeira… Será que era verdade? Relei a caneta na superfície da tablet e o cursor do mouse mexeu! Ponto pro OpenSUSE! Mas ainda não acabou não. O teste real tem que acontecer num programa que reconheça a pressão da tablet!

Abri o GIMP então e desenhei… Nada… Mas aí lembrei que tinha que configurar no GIMP! Fui então em Edit > Preferences > Input Devices e então cliquei no Botão de Configure Extended Input Devices… e configurei minha tablet, que era reconhecida como WALTOP International Corp. Media Tablet. Fechei o GIMP e abri, para aplicar as configurações. Desenhei e… FUNCIONOU! Mais um ponto pro sistema do camaleão!

Acho que pelo Live CD não dá pra instalar, só testar mesmo, esse é o ponto negativo. Acho que precisa baixar o DVD mesmo. Bom, mas pelo menos testei! E gostei bastante. O Fedora teria um duro gelo pra quebrar!

OBS.: Agora que eu vi, tem jeito de instalar sim! Na inicialização do CD ele tem a opção de Boot, de Instalar e de Iniciar pelo HD… Foi mancada essa hein! Tô acostumado com Ubuntu e talz, que tem ícone de Instalar no Desktop e acabei falando isso do SUSE! Ponto pro SUSE!

Fedora

O Fedora eu já conhecia de experiências anteriores, testei a versão 9, 10 e 11 se não me engano. Mas dessa vez resolvi testar a mais atual, a versão 14 (Lançada em Novembro de 2010) com GNOME! O site do Fedora também era bonitinho, organizado e com erros de tradução, mas passam.  Baixei o Live CD do Fedora padrão, com GNOME, que é instalável através do Live CD, coisa que o SUSE não podia fazer. Ponto pro Fedora.

A .iso não pesa muito, pelo menos 680 MB. Quando gravei, testei o SUSE primeiro e depois peguei o CD do Fedora. Reiniciei e apareceu uma tela parecida com a do SUSE, só que com o estilo do Fedora. Não achei opções para mudar de linguagem, então iniciei em inglês mesmo. A tela de boot é bem bonita, e ficou, na minha opinião, melhor que a do SUSE pelo Live CD. O símbolo do Fedora carregando e depois brilha ficou sensacional. Não demorou muito pra eu estar no Live CD.

Fedora 14 com GNOME

Um wallpaper padrão bem bonito e como podem ver, a instalação se encontra logo na área de trabalho… Hmm… Interessante. A área de trabalho lembra muito o padrão do Ubuntu, com duas barras, uma em cima e outra embaixo. Legal 😉

Vamos ao que realmente interessa: as aplicações padrões. Errmm… quase nada! Sério, não tinha OpenOffice, nem LibreOffice… Não tinha GIMP, não tinha quase nada. Tinha Firefox, Empathy e alguns outros programinhas e jogos, mas menos do que o SUSE. Esse quesito me decepcionou. Mas tudo bem. Vamos então instalar algum programa no LiveCD! Fui lá no instalador de programas… E não carregou nenhum programa. Ué? Não consegui então instalar nada… Eu ia fazer o teste da tablet, mas não tinha como instalar o GIMP… O cursor mexia, mas como testar a pressão?

Tentei entrar no Empathy, mas por algum motivo obscuro não consegui! A internet funcionava, o Firefox funcionava, mas o Empathy não. Achei estranho e saí frustrado do Fedora. Não quero desencorajar ninguém a não usar o Fedora, mas essa foi a minha experiência, e não foi boa. 😦 A primeira impressão é a que fica. Qualquer dia eu baixo o DVD de instalação do SUSE e do Fedora, instalo os dois na máquina virtual e posto minhas impressões JUSTAS dos dois instalados.

Não se desesperem, Fedora fans, eu ainda vou testar a versão 15 do Fedora e comparar com a versão nova do SUSE, mas por enquanto essa foi minha impressão…

A propósito, como disse no começo, estou escrevendo isso de dentro de um dos Live CDs. Já adivinhou qual é? É claro que é do Live CD do SUSE.

Anúncios

2 comentários sobre “OpenSUSE & Fedora – Primeiras impressões

  1. pra mim a mesma coisa o fedora nao funcionouy os repositorios, mas eu dei yum update, e quando voltou e tal, atualizei tudo, funcionou;.

  2. Muito bom o artigo, eu também utilizava o Ubuntu, mas com essas novas updates ele andou me decepcionando muito com seus bugs, tema pesado, na verdade até mais que o Windows… então fui “obrigado” a procurar outra Distro, e estou gostando muito do Fedora 17, Open Suse 12.2 e Debian 6, na verdade em meus testes todos estão se saindo bem, tanto no desempenho, quanto no visual e aplicações, são recheados de aplicativos.

    A única diferencinha é o início dos comandos… pacotes do Debian (.deb), usa-se “apt” e para derivados do RedHat usa-se “yum”, utilizo diretamente na máquina o Debian, mas na VM Ware, o Open Suse, Fedora e as vezes no BackTrack que estou aprendendo, mas também é bem agradável.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s